TEandM

http://www.teandm.pt

A TEandM assume-se como uma empresa líder na disponibilização a todo o tecido industrial de aplicações de materiais avançados por filmes espessos (projecção térmica) e filmes finos (PVD). Resulta da conjugação de interesses da Durit, empresa de produção em metal duro, e do Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro (CTCV). Em 1999 deu-se a primeira abordagem à constituição de uma empresa vocacionada para a produção de revestimentos técnicos de elevada especificação com recurso à tecnologia de projecção térmica. A necessidade de industrializar a tecnologia desenvolvida e optimizada pelo CTCV tornou-se evidente.

Dada a potencialmente vasta variedade de aplicações e sectores industriais abrangidos, revelavam-se elevadas probabilidades de expansão para outros mercados. De mais, o conhecimento profundo do mercado, assim como uma estrutura de assistência a clientes bem implementada na Alemanha, Espanha e Brasil detidos pela Durit poderiam ser valorizados. Em 2000 foi estabelecido o acordo de colaboração. Dada a estrutura da empresa TEandM, foi considerada uma sociedade com vocação de capital de risco para a integrar. Depois de negociações considerou-se que a PME Investimentos cumpria as melhores condições.

 

 

Processo de Certificação

O desenvolvimento permanente de aplicações, a fiabilidade das soluções que propomos, a garantia de cumprir com as exigências e de ir ao encontro das expectativas dos nossos clientes constituem os valores centrais da empresa.

Dada a elevada especialização do conhecimento que possuímos, procuramos nos nossos colaboradores o gosto pelo desenvolvimento pessoal, pelo rigor e a aprendizagem permanente.
Tendo a TEandM desde longa data apostado na implementação e certificação dos seus sistemas de gestão, a certificação do seu SGIDI foi o passo natural.

Começou por certificar-se de acordo com a Norma ISO 9001, sem exclusões, em 2002, tendo mantido até hoje. Em 2006, a TEandM certificou-se pelas normas de aeronáutica BS EN ISO 9001:2000, EN 9100:2003 e AS9100 Rev. B (sem exclusões, para o
âmbito «Preparação, revestimentos e rectificação de peças e componentes mecânicos para aplicações aeronáuticas, médicas e outras indústrias», tendo, em 2009, renovado com sucesso a certificação).

Também em 2009 certificou o seu Sistema de Gestão de IDI pela NP 4457:2007 no âmbito «Inovação e desenvolvimento de novos produtos, processos e soluções tecnológicas de revestimentos e componentes industriais, bem como inovação em organização e marketing».

A TEandM atribui ao seu SGIDI uma importância crescente, nomeadamente na vertente de gestão de projectos de IDI. Os projectos TEandM seguem o formato SMART (specific, measurable, action oriented, realistic and time-limited) [específico, mensurável, orientado para a acção, realista e limitado no tempo] para a apresentação de resultados.

 

 

 


Sendo certos projectos de inovação os principais responsáveis por trazer as mudanças mais profundas e estruturantes, a TEandM usa um modelo de gestão da mudança para esse tipo de projectos.

 

 

 

 

Manuel Avenilde Rodrigues Valente

Presidente do Conselho de Administração

Constitui um valor essencial da TEandM a prática industrial com responsabilidade social.

A empresa produz e desenvolve aplicações de materiais avançados com uma componente forte de revestimentos nanoestruturados utilizando tecnologias de última geração.

Tem sempre dedicado tempo e recursos, quer humanos quer materiais, ao aperfeiçoamento das tecnologias e à valorização dos seus colaboradores, de forma a criar um ambiente motivador da inovação e melhoria contínua.

Na TEandM consideramos que o desenvolvimento de novos produtos e soluções tecnológicas, com meios próprios e em parceria, com recurso a programas nacionais e europeus, constitui um domínio de actividade permanente.

É nosso objectivo adoptar, para a actividade de IDI, uma metodologia que favoreça soluções ambientalmente compatíveis e que permitam uma mais-valia para os nossos clientes, com melhoria da competitividade.

As competências que criámos e a existência de uma cultura de aperfeiçoamento constante permitem encarar a produção para a aeronáutica como uma consequência natural e enquadrada num ambiente industrial exigente.

Procuramos atingir uma satisfação elevada dos nossos clientes e privilegiamos o uso das técnicas industriais de acordo com procedimentos e normas, que reforcem a confiança na nossa empresa.

 

Boas Práticas Implementadas

  • Mobilizar recursos para sustentar a dinâmica de inovação - Relacionamentos Externos

    A TEandM coloca à disposição de todo o tecido industrial aplicações de materiais avançados por filmes espessos (projecção térmica) e filmes finos (PVD). Um dos nossos principais valores é o desenvolvimento de soluções para as empresas nossas clientes com recurso aos novos materiais e tecnologias de revestimento e, a breve prazo, a conformação avançada de materiais.

    No sentido de potenciar esta capacidade, a TEandM privilegia o estabelecimento de acordos e parcerias com instituições cujo conhecimento se integra na ciência dos materiais, particularmente o CTCV (Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro), o Instituto Pedro Nunes, o Departamento de Engenharia Mecânica da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, o Departamento de Engenharia Mecânica da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e o Departamento de Materiais da Universidade de Aveiro. De uma forma geral são protocolizados projectos de desenvolvimento de âmbito nacional ou europeu, com o recurso a financiamento do Programa Quadro e o estabelecimento de contratos que claramente regem os objectivos, trabalho a executar e tempo de execução, assim como contratualizam as disposições relativas à detenção da propriedade intelectual.

    Por outro lado, grande parte dos projectos de desenvolvimento de produto é desenvolvida intramuros, com 100% de financiamento pela empresa, e a participação das entidades do sistema científico a registar-se ao nível da caracterização de matérias-primas e produto, uma vez que é necessário recorrer à utilização de equipamentos sofisticados e dispendiosos como sejam microscópios electrónicos, nanoidentadores, etc. Nestas situações, a TEandM é detentora de toda a propriedade intelectual.

     

  • Identificar resultados de inovação - Tipos de Inovação - Produto/Serviço

    A TEandM, desde o início da sua actividade, já desenvolveu com sucesso mais de 40 revestimentos e aplicações registados em 19 famílias de marcas comerciais, como sejam o HardTribo®, DiaPlus®, ULTRAimpact®, HardSilk®, etc. A TEandM investe em inovação cerca de 6% das vendas e as vendas de novos produtos representam 12% das vendas totais. A inovação é uma prática constante na empresa ao longo da sua existência.

    Com o sistema de IDI agora implementado, espera-se uma consolidação da sua eficácia, mas principalmente um aumento da sua eficiência.

    O sector aeronáutico, extremamente exigente ao nível da capacidade técnica e do conhecimento científico e tecnológico, desenvolve parcerias com a TEandM, no sentido de usar esta capacidade inovacional para integrar novos produtos, processos e conceitos nos seus sistemas de motores a jacto.

     

    Sensores para a Indústria Aeronáutica

    A TEandM está a colaborar com o Instituto Superior Técnico (IST), a University of Manchester e a OGMA - Indústria Aeronáutica de Portugal, S.A. no desenvolvimento de sensores para a indústria aeronáutica para monitorização da corrosão de componentes de alumínio da fuselagem e estrutura de aeronaves.

    A corrosão custa anualmente à indústria aeronáutica milhares de milhões de euros em reparações e manutenção dos aviões, sendo grande parte destes custos devida à ausência de informação sobre a extensão ou gravidade da corrosão existente.

    A monitorização da corrosão e da sua progressão através de sensores permitiria minimizar o risco de falha provocada por corrosão da estrutura e, por outro lado, reduziria a necessidade de realização de paragens não programadas, permitindo uma manutenção proactiva das estruturas, com ganhos ao nível do controlo e do agendamento das operações.

    SENSOR DE MONITORIZAÇÃO DA CORROSÃO

     

    Fonte: Corros. Prot. Mater., Vol. 28, N.º 3 (2009)

Powered by