Ponto.C

http://www.pontoc.pt

A Ponto.C iniciou a sua actividade em 1998, com uma oferta exclusiva de serviços de outsourcing em desenvolvimento de software. Actualmente, a empresa apresenta-se como um fornecedor de soluções na área das Tecnologias de Informação, integrando as divisões de Software, Consulting e Networking. Contando com uma equipa de 49 colaboradores, 82% dos quais quadros superiores, a Ponto.C disponibiliza serviços de outsourcing, consultoria em desenvolvimento de software, Sistemas de Informação e Gestão, Internet e software à medida. No ano 2000 inicia o desenvolvimento do sistema uebe.Q®, a primeira solução nacional, 100% Web, dedicada à gestão de Sistemas Integrados da Qualidade. Em 2004 obtém a certificação NP EN ISO 9001:2000 e cria o seu núcleo de I&DT, gerando conhecimento aplicável ao desenvolvimento de novos produtos integrados, nomeadamente nas áreas de Ambiente, Controlo Estatístico de Processos, Gestão de Projectos e Segurança. A dinamização da sua rede de parceiros, permite que, em 2008, as suas soluções estejam integradas com sistemas ERP, desenvolvendo uma nova linha de produtos para extranets – SIIG Outdoor. A sistematização das actividades de IDI é acompanhada, em 2009, pela certificação NP 4457:2007, em paralelo com o desenvolvimento de soluções uebe.Q® específicas para a gestão de Inovação.

 

 

Processo de Certificação

A decisão de implementação de um Sistema de Gestão de IDI foi acompanhada pela identificação de algumas restrições consideradas essenciais para o sucesso do projecto. Em primeiro lugar, o SGIDI teria de estar totalmente integrado com os processos já existentes na empresa - alinhados com a ISO 9001:2008 -, evitando assim a criação de um sistema «paralelo», potencialmente limitador da optimização das várias actividades do Sistema.

Esta abordagem permitiria também facilitar a disseminação e o enraizamento das actividades de IDI, sustentando o projecto em alterações graduais aos processos existentes. Face ao tipo de produtos desenvolvidos pela empresa, foi também decidido que o projecto deveria potenciar a utilização do Sistema de Informação uebe.Q para apoio às actividades do Sistema de Gestão Integrado (SGI), adaptando funcionalidades existentes e, se necessário, desenvolvendo novos módulos.

Estando garantido o compromisso da gestão de topo e o envolvimento dos colaboradores, a abordagem passou pela adaptação dos processos existentes, com implementações graduais, integradas num processo transversal de desenvolvimento de acções de melhoria.

Requisitos como a responsabilidade da gestão, avaliação de resultados e melhoria, competência, formação e sensibilização, documentação, controlo de documentos e registos, comunicação ou fornecedores estariam já implementados no Sistema de Gestão actual.

O planeamento das actividades associadas à gestão de interfaces (tecnológica, mercado e organizacional) é assegurado pela plataforma de gestão de actividades, permitindo a sua sistematização e alocação aos vários responsáveis (colaboradores, departamentos, grupos ou funções) que asseguram as interfaces. Este processo foi ainda complementado com a dinamização das componentes de CRM (incluindo a pré-venda, formação e helpdesk) e pela redefinição de funções, autoridades e responsabilidades.

Naturalmente que existiram requisitos que envolveram uma abordagem menos gradual, exigindo adaptações substanciais aos processos da Ponto.C. A gestão de projectos de IDI, a gestão de ideias e a gestão do conhecimento envolveram um esforço acrescido na sua concepção e implementação.

 

 

Estas actividades passaram a estar centralizadas no Director de Inovação da Ponto.C, que fomenta, incentiva e coordena as actividades de gestão de conhecimento; despoleta e coordena as actividades de análise, selecção e classificação das ideias registadas na Bolsa de Ideias; e coordena a concepção, desenvolvimento, implementação e avaliação dos projectos de IDI e ideias de implementação imediata.

 

 

 

 

 

Rui Lopes

Director Geral

A Ponto.C pretende ser uma empresa de referência no sector dos serviços de desenvolvimento de software, tendo como missão «contribuir para que os projectos dos nossos clientes se tornem uma realidade, criando soluções tecnológicas personalizadas e geradoras de vantagens competitivas». Em cada serviço disponibilizado aos nossos clientes, pretendemos a distinção pela flexibilidade e customização.

Reconhecendo a exigência do mercado onde actua, caracterizado pela contínua procura de soluções mais robustas, integradas, de alta disponibilidade e flexíveis, a Ponto.C mantém como visão o reconhecimento na sua capacidade de inovação, enquanto fornecedor de soluções competitivas num mercado global. A decisão de implementação de um Sistema de Gestão de IDI é alicerçada na convicção de que estes objectivos só podem ser alcançados se a empresa gerir eficazmente o conhecimento dos seus colaboradores, potenciando a sua criatividade, e se souber cooperar no seio de verdadeiras redes de inovação.

Sistematizámos as nossas actividades de IDI, adaptámos processos e questionámos indicadores, identificámos e dinamizámos as nossas interfaces, procurámos redes de complementaridade, melhorámos processos de gestão do conhecimento e desenvolvemos produtos assentes em novas metodologias. Este esforço foi compensado pela certificação, um reconhecimento externo em como a Ponto.C está alinhada pelas melhores práticas de gestão de IDI. Sem dúvida mais importante foi o reconhecimento interno de que estas práticas sistemáticas nos aproximam dos objectivos que queremos alcançar.

 

Boas Práticas Implementadas

  • Implementar processos para garantir mais e melhor inovação - Gestão de interfaces e do conhecimento

    No âmbito da gestão das interfaces, nomeadamente a interface organizacional, revelam se de particular importância as funcionalidades que dinamizam a criatividade interna e as ferramentas de gestão do conhecimento. Conceitos normalmente associados à Web 2.0 são importantes mecanismos para assegurar a troca de informação/produção de conhecimentos organizacionais.

    Utilizando uma ferramenta baseada em ambiente Web, incorporando os conceitos de intranet e partilha de informação, é criado um ambiente favorável a estas actividades, quer sejam através de fóruns de discussão temáticos, wikis, blogues ou através de ferramentas de partilha e divulgação documental, naturalmente sujeitas a questões de confidencialidade e suportadas por mecanismos de planeamento, controlo e validação destas actividades. A Web semântica (Web 3.0) e a integração com ontologias estão no nosso horizonte e são tecnologias que poderão ser consideradas como aliados importantes nos processos de gestão de conhecimento de uma organização.

    A Ponto.C optou por implementar um processo gradual de incorporação destas tecnologias, cingindo-se, numa fase inicial, às ferramentas que garantiam mecanismos de planeamento, validação e segurança. Mais importante que o repositório ou o front end para a gestão desta interface organizacional foi a definição clara do que considera ser o conhecimento relevante, as fontes desse conhecimento, as responsabilidades e autoridades pela recolha e tratamento, as formas de disseminação, a avaliação e a monitorização.

    Neste âmbito, revelou-se extremamente importante a disseminação do conhecimento adquirido nos processos de pesquisa, da responsabilidade de colaboradores seleccionados, originados pelas necessidades detectadas proactivamente ou com vista à solução de problemas da organização. Face a estas necessidades, normalmente associadas à incorporação de novas tecnologias e linguagens de programação, metodologias de desenvolvimento de software, novos referenciais normativos e legislação, análise de concorrência/CRM ou novos produtos identificados pela empresa, são criados projectos internos tendo como missão a obtenção do conhecimento considerado relevante para o desenvolvimento das novas actividades.

    Estes projectos são executados por equipas de colaboradores com maior proximidade ao tema que se pretende analisar, normalmente exigindo uma elevada capacidade técnica e sendo orientados pelo Director de Inovação. Os resultados obtidos, materializados em relatórios técnicos e/ou estratégias de implementação, são posteriormente incorporados na empresa, mediante a realização de Acções de Disseminação, enquadradas com os planos de formação existentes na Ponto.C.

    A criatividade interna é estimulada principalmente pela formalização dos desafios lançados aos colaboradores. Estes desafios resultam de oportunidades de melhoria, sugestões ou não conformidades, originadas nas diferentes interfaces do SGIDI, constituindo oportunidades de análise e participação nas soluções que a empresa terá de encontrar. Os desafios estão integrados com a Bolsa de Ideias, visando a posterior análise, avaliação e pré-selecção de ideias, mantendo rastreabilidade, nomeadamente e se aplicável, com a gestão dos projectos de IDI. A resposta aos desafios é assim captada, analisada, comentada, votada, publicada e enquadrada nos prémios de inovação que a empresa reserva anualmente.

    O planeamento das actividades associadas à gestão de interfaces (tecnológica, mercado e organizacional) é assegurado pela plataforma de gestão de actividades, permitindo a sua sistematização e alocação aos vários responsáveis (colaboradores, departamentos, grupos ou funções) que asseguram as interfaces. Este processo foi ainda complementado com a dinamização das componentes de CRM (incluindo a pré-venda, formação e helpdesk) e pela redefinição de funções, autoridades e responsabilidades.

Powered by