Exatronic

http://www.exatronic.pt

 

Fundada em Aveiro em Maio de 1995, a Exatronic teve desde logo o objectivo de desenvolver produtos electrónicos por medida. A base de clientes situou-se, durante alguns anos, no sector das telecomunicações, automotive e indústria de fabricantes de máquinas. Em 2004 iniciou um processo de crescimento organizacional que passou pela sistematização dos processos de gestão, pelo recrutamento de engenheiros destinados à área de Concepção & Desenvolvimento e pela ampliação das suas instalações. Em 2007 viu o seu Sistema de Gestão certificado nos referenciais ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS18001/NP4397. De 2004 a 2007, o quadro de pessoal permanente aumentou de 11 para 22 colaboradores e o volume de negócios de 550 mil euros para 1,25 milhões de euros. Foi obtido licenciamento industrial para a actividade e instalações, que se mantêm.

 

Processo de Certificação

Um Sistema de Gestão de IDI traduz-se na execução de projectos concretos e que constituem a parte visível e mais evidente do trabalho desenvolvido pela organização.

Os resultados dos projectos envolvem fundamentos de engenharia e dados do projecto e a organização documental do projecto integra também as informações comerciais e de mercado e custos associados ao ciclo do projecto. A compilação das informações do uso do produto e de normas e métodos de trabalho são um forte contributo para as lessons learned fundamentais na gestão do conhecimento e procura da inovação de produtos ou processos.

O objectivo central da Política de IDI adoptada pela Exatronic passa pela intensificação da informação sobre as tecnologias em desenvolvimento, preservando-se a informação confidencial e a propriedade intelectual (pelo que se encontra em curso a implementação das boas práticas recomendadas pela ISO/IEC 27001); pela aceleração do processo de desenvolvimento tecnológico e/ou processo organizacional; pela promoção do estímulo interno e externo às oportunidades de aplicação da tecnologia ou processo, garantindo o acesso ao mercado de forma mais sustentada; pelo reforço dos intercâmbios de conhecimento; pelo fortalecimento da tecnologia; e pelo estudo interno e melhoria contínua da cadeia onde a inovação se insere, das regras de negócio e dos seus protagonistas.

A hierarquia definida e as funções genéricas e operacionais são complementadas com uma atitude de comunicação global que visa «envolver» os colaboradores no esforço para atingir os objectivos definidos e assim ajudar na melhoria do desempenho da organização.

 

 



Alguns exemplos de formas de comunicação interna utilizadas são a formação na admissão, o coaching, a divulgação das ideias - através do espaço de intranet Fórum 10K, com avaliação trimestral, pelo grupo 2G-IDI, com o intuito de refinar as mais-valias intrínsecas das propostas/ideias apresentadas, classificando o seu estado -, a afixação da Política de Gestão, a divulgação dos resultados atingidos (via correio electrónico e pelo eLusya, sistema de comunicação corporativa), divulgação dos resultados da vigilância, previsão e cooperação tecnológicas no espaço RADAR;

A comunicação com o exterior é assegurada através de notícias e informações divulgadas através do site, pela elaboração de artigos para publicação na imprensa, pelos contactos com parceiros, clientes e fornecedores no âmbito de parcerias e/ou projectos de IDI da Exatronic, via e-mail ou reuniões presenciais.

A comunicação que surge no desenvolvimento das actividades que asseguram a circulação e transferência de conhecimento permite promover a aquisição de competências e ajudar na construção do conhecimento e no desenvolvimento da capacidade de saber procurar e seleccionar a informação.

Permite também a criação de estratégias para «aprender a aprender» que favorece este processo de construção.

A gestão de interfaces e o relacionamento com entidades externas reveste-se da maior importância para o SGIDI. Os clientes, fornecedores, subcontratados, parceiros, concorrentes, consultores, associações empresariais, centros de conhecimento/instituições de ensino superior, Estado e organismos reguladores, o mercado em geral, constituem os promotores das interfaces com entidades externas e que importam para a Exatronic desenvolver.

A interface com o Sistema Científico e Tecnológico Nacional (SCTN) é bastante activa na Exatronic, que tem vários projectos em co-promoção já aprovados ou em avaliação, em que as universidades são ou co-promotoras ou entidades subcontratadas.

A Exatronic possui inúmeros protocolos de cooperação com universidades nacionais e celebrou acordos específicos com algumas delas, na área de Engenharia Biomédica. A Exatronic, em 2009, obteve aprovação por parte da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) do seu Regulamento Interno de Bolsas, tendo neste momento um pós-doutorando na área agro-industrial.

O envolvimento na investigação de forma mais intensa através de teses e estudos nas áreas de interesse, a compilação de trabalhos de prospectiva desenvolvidos como trabalhos de fim de curso ou estágios, com enfoque sobre estudos de causas técnicas identificadas pela Engenharia, análises científicas, económicas e sociais que são responsáveis pela evolução tecnológica e a possibilidade de previsão de situações que poderiam derivar das suas influências conjugadas, são bastante enriquecedores na gestão das interfaces e do conhecimento.

 

 

Nuno Gomes

Director Geral

Exatronic segue com os seus clientes uma abordagem vertical do negócio, incluindo engenharia electrónica, engenharia de produto, certificação de produto, aprovisionamento de matérias-primas, produção em regime de subcontratação, final assembly in house, controlo de qualidade de fim de linha, expedição e assistência técnica. Esta abordagem tem permitido a endogeneização do conhecimento relativo ao desenvolvimento de produto com electrónica para vários sectores, o apropriamento de mais valor acrescentado para o binómio Exatronic/cliente, o que explica o facto de a esmagadora maioria dos clientes manterem relações de longo prazo.

Desde 2005 que a Exatronic desenvolve projectos de investigação em regime de consórcio com entidades do Sistema Científico e Tecnológico Nacional (SCTN) e, mais recentemente, com outras empresas de base tecnológica complementares.

Em Dezembro de 2008 a Exatronic viu-se certificada pela NP 4457:2007 em Gestão de IDI, sendo a primeira PME do sector da electrónica a consegui-lo. Fechou o ano de 2008 com 26 colaboradores e 2 milhões de euros de volume de negócios.

Em 2009 foi constituído um núcleo de I&DT com dois vectores de actuação: a área biomédica para o desenvolvimento e fabrico sob encomenda de dispositivos médicos e a área dos sensores industriais e da gestão da cadeia do frio para o sector agro-industrial.

Exatronic obteve no 1.º trimestre de 2010 a certificação pela ISO 13485, requisito normativo para desenvolver e fabricar dispositivos médicos com electrónica, conforme determinado pela Directiva 93/42/EEC.

Em Julho de 2009 a Exatronic foi publicamente reconhecida pelo Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação (IAPMEI) como PME EXCELÊNCIA 2009. Para o biénio 2010-2011, a Exatronic tem a sua estratégia de aumento de volume de vendas a curto prazo focalizada nas actividades do seu core business, investigação e desenvolvimento de produtos e soluções com aplicação industrial e médica

Boas Práticas Implementadas

  • Mobilizar recursos para sustentar a dinâmica de inovação - Capital Humano

    O desenvolvimento das competências na Exatronic é efectuado na perspectiva de permitir acrescentar valor ao negócio. As competências-base dos colaboradores envolvidos nos processos de gestão da inovação e do conhecimento são identificadas através da caracterização das equipas de projecto que é efectuada de modo a potenciar as aptidões existentes e adquiridas. A qualificação dos recursos humanos constitui uma matéria da maior importância para a Exatronic e é uma condição essencial para a realização individual de cada colaborador e para a sua progressão.

    A autonomia, a responsabilidade e a capacidade de decisão dos gestores de projecto e responsáveis de área constitui o maior desafio da Direcção. A possibilidade de potenciar as competências de gestão e de liderança que permitam responder eficazmente aos novos desafios da Exatronic, em simultâneo com a consolidação da cultura Exatronic, é um investimento permanente.

    A satisfação dos colaboradores é avaliada anualmente com o objectivo de verificar se estes se identificam com os valores, políticas e práticas da Exatronic e se acompanham o crescimento do negócio. Realiza-se também, com a mesma periodicidade, a auto-avaliação das chefias directas. Os pontos de auto-avaliação incidem normalmente sobre:

     


    A Exatronic prepara os recursos humanos para a inovação, estimulando o seu sentido de iniciativa para gerar valor e riqueza. A estrutura organizacional, a tecnologia, os recursos financeiros e materiais constituem apenas aspectos físicos e inertes que precisam ser geridos de forma estratégica. O factor que realmente constitui o elemento dinâmico e empreendedor da Exatronic continua a ser, e de forma incontestável, as pessoas.

    Os recursos humanos na Exatronic regem-se pelo conhecimento adquirido e partilhado, pelas competências, em permanente aquisição, pelo entusiasmo e pela satisfação com as suas actividades. Promove-se e valoriza-se a interacção entre as áreas funcionais. A adopção de medidas preventivas para incentivar a permanência dos quadros da empresa estimula a aquisição de competências através da formação contínua e da aprendizagem permanente, cria condições de trabalho motivadoras e compensadoras e apresenta políticas de incentivo que favorecem a excelência e o mérito.

    Ao incrementar nas equipas o poder de decisão, isto é, ao permitir a definição de forma clara e segura de metas e objectivos individuais ou de equipa, cristaliza-se a liderança pelo exemplo: fazemos, delegamos, partilhamos e, no fim, elogiamos o esforço conjunto

  • Implementar processos para garantir mais e melhor inovação - Gestão de interfaces e do conhecimento

    O processo de vigilância tecnológica encontra-se profundamente associado à gestão do conhecimento. Envolve, além da busca e aquisição de saberes e dados, a transformação e disponibilização da informação em conhecimento para a organização. O SGIDI da Exatronic incorpora estes inputs: o SharePoint - ferramenta da intranet baseada na tecnologia Microsoft SharePoint que permite criar um sistema de gestão documental, promover diversas formas de comunicação e estimular a partilha do conhecimento, desenvolvendo a memória organizacional - facilita o armazenamento, a recuperação e a disseminação interna da informação. A gestão do conhecimento é garantida através do que é disponibilizado como uma mistura de valores, experiências, informação de contexto e pela introspecção e perspicácia (insight).

    A Exatronic efectua a sua vigilância tecnológica focalizada nas suas áreas de interesse, recorrendo a diversas fontes de informação e realizando um acompanhamento da investigação aplicada. São inputs para a gestão do conhecimento na perspectiva da vigilância:
    a informação de produtos concorrentes, a identificação de parceiros, a relação com fornecedores, dados técnicos detalhados e a melhoria de produto.

    As actividades operacionais desenvolvidas pela Exatronic no âmbito da vigilância tecnológica passam pela análise e tratamento de revistas técnicas, sites, livros, papers, datasheets e outros referenciados nas bibliotecas, espaços no SharePoint que têm como objectivo a divulgação da informação técnica, alargar a consulta às outras áreas funcionais da empresa e melhorar a adequação dos conteúdos às necessidades da organização. O uso de redes sociais, muito imbricado nas actividades da Exatronic, constitui também um potenciador de conhecimento.

     


    De igual forma, a ferramenta Espaço RADAR - plataforma de gestão das actividades de vigilância e previsão tecnológica que permite acompanhar a investigação básica, o que é desenvolvido, o que poderá ser gerado e aproveitado, entre outros -, sempre a par de protocolos institucionais, newsletters, revistas e informação institucional de várias organizações, constitui uma fonte preciosa, pois permite detectar oportunidades de novos investimentos e comercialização, contribuindo para promover a inovação.

    A Exatronic consegue assim garantir a vigilância e a previsão tecnológica de forma organizada, selectiva e permanente para captar a informação externa, analisá-la e convertê-la em conhecimento. Ganhou competências para diminuir o risco na tomada de decisão e antecipar-se às mudanças, uma vez que está concentrada no acompanhamento dos avanços do estado da tecnologia, mercados, ameaças e oportunidades geradas.

    As actividades de vigilância e previsão tecnológica passam pelo detectar de ameaças e oportunidades também através do conhecimento de patentes, regulamentações, novos investimentos nacionais e comunitários e cooperações. Esta ferramenta procedimental permite evitar barreiras de mercado e barreiras técnicas na introdução de produtos no mercado.

  • Implementar processos para garantir mais e melhor inovação - Gestão de Aprendizagem

    Os procedimentos de avaliação de impacto dos projectos de IDI estão na Exatronic englobados nos procedimentos de avaliação de resultados de IDI. Estes configuram se como uma das etapas mais profícuas na contribuição para a melhoria da eficácia do sistema de gestão de inovação da empresa.

    A avaliação de resultados numa perspectiva globalizada é feita uma vez por ano, com vista a assegurar que o conhecimento adquirido na avaliação das actividades de IDI é considerado em actividades futuras. São avaliados os resultados dos projectos de IDI, indicadores e respectivas metas, resultados da gestão das interfaces e da produção de conhecimento, da gestão de ideias, avaliação de oportunidades, resultados das actividades de verificação e validação, resultados após comercialização ou implementação, avaliação do impacto dos resultados do projecto e do sistema, e avaliação e percepção das partes interessadas.

     


    A partir desta avaliação, a Exatronic define novos modelos de negócio, identifica a necessidade de aquisição ou aprofundamento de competências, estabelece a estratégia e divulgação dos resultados, determina melhorias processuais, nomeadamente para a redução de custos, fixa a estratégia de conversão da tecnologia num produto ou serviço transaccionável e a criação de valor através do potenciar da inovação.

    A análise de impacto dos resultados de projectos IDI permite efectuar a avaliação, selecção e definição de prioridades no domínio da IDI, elaborar diagnósticos tecnológicos transparentes e objectivos para as unidades de negócio da Exatronic através da selecção, protecção e registo de ideias, produtos e tecnologias. Fornece inputs essenciais para as decisões sobre as opções em termos de transferência de tecnologia e de conhecimento e o seu enquadramento na estratégia de inovação

Powered by