EuroResinas

http://www.sonaeindustria.com

 

A EuroResinas é uma unidade do Grupo Sonae Indústria dedicada ao fabrico e comercialização de resinas sintéticas e formaldeído. Foi constituída em Novembro de 1993, por um processo de cisão/fusão da Sonae Indústria de Revestimentos, S.A. em diversas entidades autónomas, ficando esta responsável pelos negócios de resinas e formaldeído. Como unidade produtora de resinas, existe desde meados dos anos 70 com o arranque, na então Sociedade Nacional de Estratificados, na Maia, da produção de resinas fenólicas e melamínicas, destinadas à impregnação de papel. O aumento da capacidade instalada tornou-se um imperativo face ao crescimento do Grupo, tendo uma nova unidade sido instalada na Área Industrial de Sines (junto ao porto e ao Complexo Petroquímico de Sines). Iniciou laboração em Maio de 2001, produzindo uma gama variada de resinas sintéticas – cuja principal utilização é como agente aglutinador (cola) na manufactura de diversos produtos derivados da madeira e papel. Em 2001 foi encerrada a unidade da Maia. Além de resinas, a EuroResinas produz papel impregnado com resina melamínica (papel decorativo) e papel impregnado com resina fenólica (papel kraft), utilizados para a produção de laminados. Em 1994, o Instituto Português da Qualidade (IPQ) reconheceu a Sonae Indústria de Revestimentos, S.A. como empresa certificada segundo a norma NP EN 29002; e, em 1995, a EuroResinas recebe a mesma certificação. Em 1996 a empresa é auditada pela norma NP EN ISO 9002:1995 e é reconhecida como tendo uma organização também adequada. Em 2006 obtém a certificação ambiental pela NP EN ISO 14001:2004. Em 2007 certifica o seu Sistema de Gestão de IDI pela NP 4457:2007.

 

Processo de Certificação

 

«Sendo o conhecimento a base da geração de riqueza nas sociedades avançadas e a investigação e desenvolvimento pilares da criação desse conhecimento, é a inovação que cria a oportunidade de transformar esse conhecimento em desenvolvimento económico».

Nessa perspectiva, e inserida num mercado cada vez mais exigente, a Sonae Indústria entendeu que, no presente e no futuro, apenas sobreviverão empresas com uma forte relação e envolvimento na Inovação.

Foi neste contexto que a Sonae Indústria aceitou, em 2007, o desafio da COTEC Portugal e integrou o grupo de empresas-piloto na definição e implementação de um Sistema de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação (SGIDI), de acordo com a NP 4457:2007.
A EuroResinas através de uma equipa interna e com o apoio de um consultor externo, levou a cabo o processo de certificação durante um período de aproximadamente 17 semanas, tendo obtido a certificação no ano de 2007.

 

 

O modelo desenvolvido e implementado na EuroResinas pressupõe três interfaces que permitem a transformação de conhecimento em aplicações úteis nos mercados e valorizadas na sociedade: Interface Tecnológica, Interface Organizacional e Interface de Mercado.

 

 

Na primeira, fontes tecnológicas identificadas com responsáveis definidos garantem a produção de conhecimento (Cooperação Tecnológica, Vigilância Tecnológica e Previsão Tecnológica). Na segunda, a motivação e o envolvimento dos colaboradores possibilitam que a criatividade seja espontânea e produtiva (Criatividade Interna).

A terceira representa o contacto com clientes e/ou fornecedores e a análise interna de problemas e oportunidades de melhoria, garantindo a produção de conhecimento (Análise Interna, Análise Externa).

 

 

Belmiro de Azevedo

Presidente do Conselho de Administração da SONAE S.G.P.S., S.A.
 
 

Na Sonae estamos convictos de que a inovação é uma condição necessária para o nosso sucesso. Queremos ser a empresa com o maior impulso inovador em Portugal, suportado no compromisso claro da gestão de topo de cada área de negócio e em processos estruturados de gestão de ideias, que resultem em iniciativas promotoras de novos produtos ou serviços, tornando-os mais atractivos perante os nossos clientes.

Internamente, temos bastante claro que o processo de inovação envolve incerteza, muitas vezes fé num resultado final positivo que acrescente valor aos diferentes stakeholders. No entanto, há que estar preparado para falhar e, naturalmente, ter a capacidade para aprender com os nossos erros, mas também com os erros identificáveis no ambiente externo à empresa.

Inserido neste contexto, a Sonae criou o Fórum de Inovação da Sonae (FINOV), com o objectivo de estimular e apoiar uma cultura interna promotora de inovação (ser mais rápido, ser mais barato, ser melhor), procurando níveis mais elevados de partilha interna e transformação de conhecimento em valor económico.

Em momentos de instabilidade económica, acreditamos que as empresas que dominem com consistência a gestão da inovação terão uma ferramenta poderosa para sobreviver no longo prazo.

Esperamos que o Guia de Boas Práticas de Gestão de Inovação seja mais uma etapa no longo caminho para melhorar a oferta de novos produtos e que mereçam preferência dos consumidores mais exigentes, de modo a melhorar a percepção de alta qualidade dos produtos portugueses.

 

Boas Práticas Implementadas

  • Criar condições para estimular a inovação - Liderança

    O empenho na inovação, qualidade, ambiente, higiene e segurança são princípios-chave da nossa visão. A qualidade, ambiente, higiene e segurança e a investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) significam, para nós, a procura contínua de melhorias na empresa, em parceria com todos os stakeholders, nomeadamente os colaboradores da empresa e os seus parceiros de negócios.

     

    POLÍTICA DE IDI


    A EuroResinas assume o compromisso de, numa perspectiva de melhoria e inovação contínuas, seguindo as orientações estratégicas acordadas em sede da Sonae Indústria, desenvolver os melhores esforços para atingir os seus objectivos que se alinham com as seguintes directrizes:

    • Satisfazer integralmente as necessidades e expectativas dos clientes em relação aos serviços e produtos (eficácia/eficiência e custo);
    • Desenvolver a comunicação externa como forma de potenciar a criação de valor;
    • Procurar a melhoria contínua da organização, produtos e processos nomeadamente nas áreas da investigação, desenvolvimento e inovação (IDI), qualidade, ambiente, higiene, saúde e segurança no local de trabalho, para o que estabelece e revê metas e objectivos para as suas actividades;
    • Desenvolver internamente uma cultura de inovação, qualidade, ambiente, higiene, saúde e segurança no local de trabalho, fomentando o esclarecimento e formação dos seus colaboradores para que estes efectuem as suas actividades de uma maneira responsável e sustentável;
    • Especificar de forma inequívoca o âmbito de actuação e as responsabilidades dos nossos colaboradores, de forma a garantir a condução eficaz dos nossos processos;
    • Garantir que todos os subcontratados tenham conhecimento, cumpram e sejam parte activa desta política;
    • Estabelecer e manter actualizado um sistema de gestão integrado em conformidade com normas nacionais e internacionais aplicáveis;
    • Cumprir com todos os requisitos legais e boas práticas recomendadas internacionalmente, assim como outros requisitos subscritos pela EuroResinas ou pela Sonae Indústria;
    • Estabelecer com os fornecedores relações de parceria e fidelidade que permitam constituir uma mais-valia no processo de IDI da EuroResinas, aspirando à excelência na sua organização, serviços e produtos, com o mínimo de risco possível para o negócio e para o ambiente;
    • Reduzir contínua e eficientemente o impacto das suas actividades no ambiente, melhorando a qualidade dos produtos e serviços e melhorando as condições de higiene e segurança;
    • Aplicar as melhores técnicas disponíveis (MTD) para minimizar os impactes ambientais, prevenir a poluição e atingir os mais altos padrões de segurança, higiene e qualidade;
    • Fomentar uma cultura de criatividade e empreendedorismo promovendo a geração interna e externa de ideias e avaliando estrategicamente, a cada momento, as oportunidades a elas associadas.

     

    PRINCÍPIOS ORIENTADORES


    O Sistema de Gestão Integrado da EuroResinas - Indústrias Químicas, S.A. tem como objectivos:

    • Criar valor acrescentado para a empresa e os seus accionistas;
    • Sensibilizar, treinar e formar todos os colaboradores, relativamente às várias técnicas e à importância da melhoria efectiva e contínua na empresa;
    • Garantir o envolvimento de todos os intervenientes no ciclo de realização de produtos e na obtenção da qualidade, funcionando, cada um, como garante da mesma;
    • Dar prioridade às técnicas de prevenção, complementadas por uma prática estruturada e planeada de gestão de projectos de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI), estando sempre salvaguardadas como essenciais a gestão da propriedade intelectual e do conhecimento, a identificação e análise de problemas e oportunidades, a criatividade interna e a gestão das ideias;
    • Colocar à disposição dos clientes serviços e produtos que satisfaçam integralmente as suas necessidades e expectativas, promovendo para isso uma cultura baseada na criatividade e inovação;
    • Estabelecer uma relação estável com os clientes e fornecedores, baseada numa elevada confiança nos produtos da EuroResinas - Indústrias Químicas, S.A., por forma a envolvêlos na consecução dos objectivos da política definida pela empresa;
    • Manter o estatuto de Empresa Certificada, de modo a revestir de maior credibilidade os produtos da EuroResinas - Indústrias Químicas, S.A. e a solidificar, cada vez mais, a sua posição no mercado;
    • Disseminar a actividade inovadora a todos os níveis da empresa, complementando-a com uma gestão eficaz das interfaces tecnológica, de mercado e organizacional;
    • Dinamizar e fomentar a utilização de ferramentas de gestão de ideias e avaliação de oportunidades;
    • Aumentar a eficiência dos processos industriais por forma a diminuir o número de reciclagens, rejeições finais e em curso de produção;
    • Minimizar os efeitos ambientais no desenvolvimento de novos projectos e produtos;
    • Implementar práticas e processos que compatibilizem a eficiência económica com a eficácia ecológica, integrando a gestão ambiental no ciclo de planeamento estratégico;
    • Promover a implementação de um sistema de monitorização, reporte e consolidação da informação ambiental baseado num processo de auto-avaliação e melhoria contínua;
    • Divulgar a política da empresa junto dos fornecedores para garantir que o seu desempenho está alinhado com a mesma;
    • Promover a participação activa da comunidade externa (clientes, parceiros de negócio e autarquias) no cumprimento dos objectivos de gestão ambiental;
    • Melhorar as condições de segurança, higiene e saúde no trabalho, dando ênfase à formação e prevenção nesta área;
    • Garantir que todos os trabalhadores desempenham as suas funções em condições de segurança, higiene e de protecção da saúde;
    • Promover a implementação de um sistema de monitorização, reporte e consolidação da informação de higiene e segurança baseado num processo de auto-avaliação e melhoria contínua;
    • A prevenção dos riscos profissionais deve ser desenvolvida segundo procedimentos, normas e programas que visem, nomeadamente, a integração da prevenção na fase de projecto, uma caracterização adequada do ambiente ocupacional e a eficiência de um sistema de fiscalização do cumprimento da legislação relativa à segurança, higiene e saúde no trabalho (SHST).
  • Mobilizar recursos para sustentar a dinâmica de inovação - Estruturas

    O Centro de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (CIDI) da EuroResinas (Grupo Sonae Indústria - SIND) é uma estrutura dedicada à investigação, desenvolvimento e concepção de novos produtos, ao suporte à resolução de problemas e à implementação de acções de melhoria do desempenho dos produtos existentes e dos processos industriais, sustentada em princípios de inovação, eficiência industrial, diferenciação, responsabilidade ambiental e competitividade.

    Todos os projectos desenvolvidos no CIDI seguem a metodologia definida pela SIND, tendo uma coordenação única por um gestor de projecto, sendo estabelecidos objectivos claros incluindo parâmetros predefinidos de tempo, custo, qualidade e recursos.

    O CIDI reúne um conjunto de competências técnico-científicas e meios técnicos, que vão desde a síntese laboratorial de resinas até à produção e caracterização de painéis derivados de madeira e laminados de alta pressão em cenário experimental.

    O CIDI tem actualmente sede no pólo da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), com uma extensão no pólo da Escola Superior de Tecnologia de Viseu - Instituto Politécnico de Viseu (IPV). A estrutura promove a criação de laços de cooperação estáveis e duradouros entre a SIND, a FEUP e o IPV, através da cooperação em projectos integrados e da mobilidade de quadros técnicos da FEUP ou IPV (bolseiros de mestrado e de doutoramento, estagiários) e da SIND, o que facilita a endogeneização do conhecimento e o desenvolvimento de competências específicas com vantagens mútuas.

    Através desta estrutura, a SIND garante:

    • Acesso ao conhecimento científico dos investigadores;
       
    • Desenvolvimento de métodos/técnicas de ensaio/análise específicos para os produtos da SIND, nos laboratórios dos parceiros académicos, sem necessidade de recurso à aquisição de novos equipamentos, pelo menos na fase de concepção desses métodos;
       
    • Constituição de uma bolsa permanente de técnicos de elevado potencial, à qual a SIND tem acesso privilegiado em caso de necessidade ou de avaliação de potencial considerado de excepção, para eventuais processos de recrutamento de quadros para as suas empresas.

    Através desta estrutura, os investigadores dos parceiros académicos podem estar em contacto com a realidade industrial e a experiência acumulada pelos colaboradores da SIND, o que facilita a orientação da sua investigação para a resolução de problemas com interesse económico. Por outro lado, a concentração de recursos (humanos e materiais) permite uma comunicação mais eficiente e a focalização em objectivos comuns.

  • Implementar processos para garantir mais e melhor inovação - Gestão de projectos de IDI

    PROJECTOS DE OPTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS E PRODUTOS

    O desenvolvimento de um novo produto é compreendido na SIND como um Projecto: processo não repetitivo que se destina a atingir um objectivo claro e definido, considerando parâmetros predefinidos de tempo, custo, qualidade e recursos, com uma coordenação única por um gestor de projecto.

    O ciclo de vida do projecto inclui milestones em que os resultados intermédios atingidos são verificados e avaliados relativamente à qualidade e integridade, com base nos objectivos identificados e validados. Com base nos resultados desta avaliação, são tomadas decisões no que respeita ao avanço (ou não) do projecto.

    No sentido de maximizar os resultados obtidos, a EuroResinas desenvolveu e aplica uma ferramenta de gestão de «Projectos de Optimização de Processos & Produtos» (POP), que apoia o desenvolvimento com clarificação dos objectivos, grupo de trabalho, datas para conclusão de etapas e recursos necessários, suportando a gestão desde a definição do projecto até ao seu termo, incluindo a avaliação da sua eficácia.

    Uma vez decidido o arranque do projecto e o respectivo gestor de projecto, são realizadas as seguintes etapas: planeamento geral; definição de indicadores de performance; actualização/criação dos registos associados à mudança; e definição de recursos necessários.

    Após a aprovação para a execução do projecto, a equipa de trabalho, sob a coordenação
    do gestor de projecto, procede à realização de um estudo mais pormenorizado do projecto a implementar, segundo as seguintes etapas: planeamento detalhado; definição dos aspectos ambientais e de segurança; definição da propriedade intelectual; e reavaliação do retorno do investimento.

    Toda a informação reunida durante o desenvolvimento do projecto fica documentada na ferramenta: actividades de verificação; alterações ao projecto; implementação de compras…
    Após a implementação do projecto, o gestor de projecto faz a análise dos objectivos alcançados face aos objectivos pretendidos: indicadores de performance; verificação da definição da propriedade intelectual do projecto; verificação da actualização/criação dos registos associados à mudança; verificação dos recursos necessários; e avaliação do projecto.

     

     

    Na reunião de gestão, a direcção promove e avalia o grau de cumprimento dos objectivos do projecto, decidindo sobre o seu fecho ou pela abertura de um novo, se considerar oportuno.

Powered by