Efacec

http://www.efacec.pt

 

Com mais de 100 anos de história, o Grupo Efacec teve a sua origem na «Moderna», empresa nascida em 1905. Constituída em 1948, a Efacec é hoje o maior Grupo Eléctrico Nacional de capitais portugueses e atravessa um novo ciclo de vida, fortemente marcado pela sua expansão em contexto internacional. Presente com as mais modernas tecnologias em mais de 65 países, a Efacec, cujo volume de encomendas ultrapassou já os 1000 milhões de euros, é líder em várias áreas diferenciadoras, baseando a sua vantagem competitiva em actividades com forte valor acrescentado tecnológico. Opera em sectores de actividade dos mais competitivos, da energia aos transportes e à engenharia, do ambiente aos serviços e às energias renováveis, através da competência técnica e da dinâmica e capacidade empreendedora dos seus colaboradores. A aposta no mercado internacional, bem como um forte investimento na inovação e no desenvolvimento de novas tecnologias, em articulação com as tecnologias de base, fazem com que a Efacec tenha sabido penetrar favoravelmente no mercado, posicionando-se na linha da frente da indústria portuguesa e nos mercados internacionais. Estes factores são base para o crescimento e desenvolvimento sustentados do Grupo Efacec. A participação como empresa-piloto nos projectos da Iniciativa «Desenvolvimento Sustentado da Inovação Empresarial» promovida pela COTEC revelou-se importante no desenvolvimento da inovação enquanto competência da organização. Face aos desafios que a empresa enfrenta e aos objectivos de crescimento que pretende alcançar, é fundamental manter e reforçar esta atitude de IDI como um dos valores centrais da Efacec, atestando-o o facto de após a obtenção da certificação da Efacec Sistema de Electrónica, o Grupo ter avançado para a certificação da Unidade de Aparelhagem da Efacec Energia.

 

Processo de Certificação

A aposta da Efacec no mercado internacional, bem como um forte investimento na inovação e no desenvolvimento de novas tecnologias, em articulação com as tecnologias de base, fazem com que a Efacec tenha sabido penetrar favoravelmente no mercado, posicionando-se na linha da frente da indústria portuguesa e nos mercados internacionais. Estes factores são base para o crescimento e desenvolvimento sustentados do Grupo Efacec.

A participação da Efacec como empresa-piloto nos projectos da Iniciativa Desenvolvimento Sustentado da Inovação Empresarial (DSIE) promovida pela COTEC revelou-se importante no desenvolvimento da inovação enquanto competência da organização.

Face aos desafios que a empresa defronta e aos objectivos de crescimento que pretende alcançar, é fundamental manter e reforçar esta atitude de IDI como um dos valores centrais da Efacec.

Atesta-o o facto de após a obtenção da certificação pioneira da Efacec Sistemas de Electrónica, S.A., o Grupo ter avançado com a certificação da Unidade de Aparelhagem da Efacec Energia.

A Efacec Sistemas de Electrónica, detida a 100% pela Efacec Capital, conta com cerca de 400 colaboradores, actua em mercados maduros e altamente competitivos e tem tido um forte crescimento em grande parte devido à sua aposta na investigação e desenvolvimento.

 

 

A implementação de um Sistema de Gestão de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (SGIDI), com total apoio e participação da gestão de topo, cruzou a necessidade de gerir o conhecimento gerado com a de estimular um ambiente cada vez mais favorável à inovação e assim promover a criação de valor.

As normas portuguesas dedicadas ao tema constituíram um excelente instrumento de base para o desenvolvimento do SGIDI, que se decidiu integrar com o sistema de gestão já existente, certificado segundo as normas ISO9001, ISO 14001 e OHSAS 18001.

A ferramenta de autodiagnóstico «Innovation Scoring» e a realização de workshops de inovação, que envolveram várias equipas multidisciplinares, permitiram levantar um importante conjunto de questões e explorar novas perspectivas, que facilitaram a concepção do SGIDI.

O SGIDI conta com um conjunto de procedimentos documentados: Gestão de Ideias, Gestão de Projectos de IDI, Produção e Gestão do Conhecimento e Identificação e Registo das Interfaces. Como suporte ao SGIDI foi criada uma biblioteca de IDI, acessível a partir da intranet, que permite a qualquer colaborador consultar ou divulgar informação/ conhecimento resultantes das interfaces e das ligações à macro/micro envolvente, garantindo assim a sua difusão e partilha pela organização.
Diferenciando o que é conhecimento do que são as interfaces, é possível a qualquer colaborador registar, por exemplo, quais as feiras, seminários ou formações a que assistiu ou, por exemplo, registar uma nova associação que integra e qual o cargo que ocupa.

Pode ainda actualizar o seu CV, informar-se sobre as patentes existentes ou participar num fórum de livre acesso em que pode levantar uma dúvida e debatê-la com outros colaboradores.

Desde sempre que na Efacec se reconhece o potencial das ideias de todos os colaboradores, comprovado pelo facto de há mais de 45 anos existirem iniciativas para estimular a criatividade, desde as tradicionais caixas de sugestões até aos workshops de geração de ideias. O longo caminho de sensibilização percorrido permitiu a abertura e transparência necessárias para a implementação do programa de gestão de ideias actualmente em vigor, o «Colombo», que foi desenvolvido em conjunto com empresas do Grupo José de Mello e que trouxe benefícios quantificados e visíveis para toda a organização, tendo a comunicação e formação dos colaboradores contribuído decisivamente para os mesmos.

A Unidade de Negócios Aparelhagem foi a segunda área do Grupo Efacec a certificar o seu Sistema de Gestão de IDI.
O âmbito deste negócio é o desenvolvimento de soluções técnicas de exploração de redes de transmissão e distribuição de energia eléctrica em média e alta tensão. No seu portefólio de produtos integram-se quase todo o tipo de aparelhagens utilizadas neste tipo de redes e entre os seus clientes contam-se algumas das mais importantes utilities
eléctricas do mundo.

Com mais de 50 anos de experiência no desenvolvimento, produção e comercialização de equipamentos, a Efacec Aparelhagem, também detida a 100% pela Efacec Capital, conta com mais de 200 colaboradores e a sua capacidade de inovar permitiu-lhe criar um portefólio de equipamentos e sistemas que respondem às necessidades mais exigentes dos seus clientes.

 


A utilização das mais avançadas tecnologias em meios de desenvolvimento e fabricação permitiram-lhe criar soluções flexíveis e adaptadas à nova realidade do mercado da energia eléctrica, minimizar a manutenção e os trabalhos de instalação, automatizar as redes de distribuição e melhorar a qualidade da energia fornecida.

A fase de diagnóstico contou com o exercício «Innovation Scoring» e workshops de inovação, fundamentais na concepção do SGIDI, que também foi integrado com o sistema de gestão existente, apostando-se fortemente na formação e comunicação para o envolvimento de toda a organização.

Para o desenvolvimento sustentado da criatividade interna e da gestão e valorização do conhecimento foram criadas metodologias sistemáticas e contínuas.

Artigos científicos, patentes, registos de laboratórios de ensaio internacionais, bases de dados de clientes, relatórios de mercado, participações a nível mundial em feiras e congressos da especialidade, informação técnica de concorrentes, participação em associações e comités técnicos internacionais, o feedback de partes interessadas, ligações recorrentes com universidades e instituições do sistema científico nacional e internacional seguiram um conjunto de práticas definidas internamente e estão disseminadas na organização.

Gerir a inovação nas vertentes de produto, processo, marketing e organizacional e privilegiar as interfaces, nomeadamente a vigilância, previsão e cooperação tecnológica, a criatividade interna, a análise dos clientes, a análise interna e externa, a propriedade intelectual e a gestão do conhecimento são grandes desafios para o desenvolvimento dos negócios do Grupo Efacec.

 

 

Luís Filipe Pereira

Presidente do Conselho Executivo


Efacec há muito que incorporou a componente da sua capacidade de realização e o papel determinante da Inovação como parte integrante da sua estratégia de expansão, nos mercados nacional e internacional. Esta estratégia assenta, nomeadamente, no seu processo de internacionalização, cujo ponto de partida consistiu na identificação e escolha dos negócios em que a empresa pretendia estar e dos mercados em que pretendia competir.

A relevância do investimento em Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) para a Efacec está bem patente não apenas nos produtos, sistemas, soluções e serviços que concebe e desenvolve, mas também no seu oportuno lançamento no mercado, visando aproveitar as oportunidades que se lhe deparam e garantir uma competitividade indiscutível a nível internacional.

Neste contexto, a componente de IDI teve, desde sempre, uma importância fulcral na trajectória da Efacec, sendo assumida como um factor crítico de competitividade. A Efacec tem cerca de 150 quadros afectos exclusivamente à actividade de IDI em diversos negócios e, só em 2009, investiu cerca de 14.000.000 ¤ em I&D, dos quais cerca de 6.000.000€ correspondem a incentivos do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). A Efacec criou e desenvolveu internamente a área de Gestão Integrada da Inovação, Qualidade e Desenvolvimento Sustentável, que se tem revelado uma área importante para a obtenção dos objectivos da empresa.

É também parte em diversos protocolos de cooperação e em inúmeras associações e participa em várias redes de conhecimento. Mantém uma forte ligação ao Sistema de Ensino Científico e Tecnológico, com o estabelecimento de parcerias com Escolas, Institutos Superiores e Universidades das mais prestigiadas a nível nacional e internacional. Acentuo que a estratégia da Efacec se desenvolve a nível global e em ambientes altamente competitivos, onde a qualidade da gestão e dos seus recursos humanos, a capacidade de inovar e sua tradução na competitividade dos seus produtos, sistemas, soluções e serviços são factores críticos de sucesso.

Neste contexto, a Efacec continuará a visar a excelência da sua engenharia, como elemento decisivo para a sua competitividade, em Portugal e nos mercados externos.

 

Boas Práticas Implementadas

  • Criar condições para estimular a inovação - Liderança

    POLÍTICAS DE IDI

     

    As actividades de IDI têm como finalidade última a criação de valor para a empresa ou para os utilizadores dos seus produtos (bens ou serviços).

    Essa política deriva do posicionamento da EFACEC Sistemas de Electrónica, S.A. no mercado, definido nos seus planos estratégicos, como integrador nos sectores em que actua, dando preferência a soluções tecnológicas próprias sempre que estas possam constituir um factor diferenciador e uma alavanca de competitividade da sua oferta.

  • Implementar processos para garantir mais e melhor inovação - Gestão de interfaces e do conhecimento

    O desenvolvimento de um sistema integrado de abastecimento e gestão da mobilidade eléctrica constitui uma área agregadora de múltiplas competências, promovendo a convergência de variados domínios tecnológicos, nomeadamente ao nível dos equipamentos e sistemas eléctricos e electrónicos, sistemas de informação e de comunicação e engenharia de produto.

    Formou-se um consórcio de índole 100% nacional constituído pela Efacec, CEIIA, Critical Software e Novabase com o objectivo de desenvolver e implementar uma solução completa para a infra-estrutura de abastecimento e suporte à mobilidade eléctrica.

    Este consórcio, coordenado pela INTELI, integra ainda como parceiros a EDP Inovação, a Nissan e a Yazaki.

     



    Apresentação pública do sistema MOBI.E


    Desde os pontos de carregamento e a sua interacção inteligente com a rede eléctrica, até sistemas avançados de comunicação, gestão e facturação agregada, todo o sistema é desenvolvido com o enfoque no cidadão, permitindo integrar de forma sistemática as dimensões económica, energética e ambiental associadas à mobilidade de cada utilizador.

    Representando uma reunião de know-how de reconhecido nível técnico tanto no panorama nacional como internacional, este consórcio tem fomentado uma abordagem disruptiva à temática da mobilidade eléctrica, integrando a vanguarda do pensamento sobre as novas lógicas de mobilidade e da inovação tecnológica. A solução técnica apresentada foi desenvolvida tendo em conta os significativos avanços tecnológicos que se prevêem neste domínio.

    A indústria emergente associada a toda a cadeia de valor da mobilidade eléctrica implicará o envolvimento de múltiplos actores, incentivando a criação de novas áreas de investigação e desenvolvimento e modelos de negócio, sendo do interesse deste consórcio amplificar o potencial de liderança mundial do desenvolvimento tecnológico da indústria portuguesa.

  • Identificar resultados de inovação - Tipos de Inovação - Produto/Serviço

    O emblemático projecto do Metro do Porto foi, na altura, a maior obra pública licitada em todo o espaço económico europeu. Este projecto introduziu novos conceitos de intermodalidade e reuniu um alargado leque de soluções tecnológicas no domínio dos sistemas para transportes. Para apresentar uma proposta a este ambicioso projecto foi constituído um Consórcio (Normetro) que exigiu uma cooperação tecnológica entre várias empresas.

    A Efacec assumiu a responsabilidade de fornecer toda a componente electromecânica, incorporando um elevado conjunto de produtos nativos e soluções desenvolvidas «à medida» das especificidades do sistema. Foram vários os sistemas e produtos desenvolvidos, dos quais se destacam desenvolvimentos nas áreas de Energia, Telecomunicações, Segurança, Ambiente, Sistemas de Atenção ao Cliente, Centro de Comando, Manutenção e Assistência.
    A experiência e o know-how adquiridos neste grande projecto provaram, entre outras coisas, a existência no panorama tecnológico nacional de competências, inovação e competitividade de produtos e soluções desenvolvidos por empresas nacionais para o exigente mercado dos transportes.

     

     

    Pelo facto de ter sido bem-sucedida a experiência do projecto do Metro do Porto, o Grupo sentiu-se desafiado a exportar o seu know-how e a sua tecnologia para projectos internacionais, que, na última década, se têm multiplicado um pouco por todo o mundo e particularmente na Europa.

    Com base na experiência adquirida no projecto do Metro do Porto, a Efacec desenvolveu competências únicas nos sistemas de supervisão da rede de alimentação, de supervisão técnica, de videovigilância, de informação ao público e de apoio à exploração, e foi com elevada expectativa que participou em dois concursos públicos internacionais lançados pela Metropolitano de Tenerife, uma empresa público-privada criada com o objectivo de implementar o projecto do sistema de Metro Ligeiro na cidade de Santa Cruz de Tenerife.

    Por sua vez, o segundo concurso destinava-se ao fornecimento chave-na-mão de todos os sistemas de segurança e suporte à operação do Metro Ligeiro de Tenerife.

    A demonstrada qualidade técnica e a elevada competitividade das soluções apresentadas pela Efacec significaram a assinatura de dois contratos, no primeiro dos quais tendo-se a empresa assumido como main contractor. No segundo contrato, o projecto foi implementado em parceria com uma empresa espanhola.

    Com este projecto do Metro Ligeiro de Tenerife, a Efacec assumiu-se claramente como um fornecedor mundial de referência no domínio das soluções electromecânicas para metros ligeiros. O sucesso deste projecto ficou então a dever-se à presença de elementos chave como a adequação, competitividade, extrema adaptabilidade e capacidade de
    «customização» das soluções promovidas pela Efacec.

    Posteriormente, as soluções desenvolvidas permitiram novos êxitos noutras partes do mundo, das quais se salientam os casos dos Metropolitanos das cidades de São Paulo, Jerusalém, Dublin e Cadiz.

  • Identificar resultados de inovação - Tipos de Inovação - Organizacioonal

    O programa «Efacec Employee Empowerment» (EEE) iniciou-se, em Junho de 2009, na Unidade Aparelhagem de Média e Alta Tensão (AMT), sendo um projecto pioneiro dentro de todo o Grupo Efacec.

    Este programa arrancou com uma sessão de kickoff em que estiveram presentes vários colaboradores, nomeadamente os Chefes de Equipa, os Engenheiros de Linha, Directores de Produção e a própria Direcção da AMT.

    Foi explicado às equipas que o empowerment é um modelo organizacional, direccionado para o desenvolvimento das competências das equipas de trabalho, através da delegação de autoridade e responsabilidade na gestão. Um motor de desenvolvimento da organização onde a motivação, a participação activa, a pró-actividade, a melhoria contínua e o relacionamento entre colaboradores é privilegiado e alvo de melhorias substanciais, em alinhamento com os objectivos estratégicos.

    A cultura de empowerment pressupõe uma comunicação eficaz e eficiente, assim como o desenvolvimento da capacidade de resolução de conflitos, razão pela qual a primeira acção de formação foi subordinada ao tema «Comunicação e Gestão de Conflitos», segundo a metodologia de formação-acção. Nesta sessão foram explorados temas como a identificação de barreiras à comunicação, identificação e gestão de conflitos, prevenção de dificuldades de transmissão de informação, comunicação assertiva, escuta atenta do outro e do que pretende transmitir, esforço por ser-se compreensivo e tolerante.

    Empowerment é o processo pelo qual se atribui poder acrescido às pessoas no processo de decisão, descentralizando poderes pela autonomização dos níveis hierárquicos, e promovendo o envolvimento de todos os colaboradores nos processos de decisão de uma empresa. Baseia-se na crença de que as potencialidades dos colaboradores são, muitas vezes, subestimadas.

    Reuniões «TOP5» nas diversas linhas de produção: reuniões diárias que duram cerca de 5 minutos, juntam todos os elementos de cada equipa, e têm como objectivos a mobilização da equipa, a formalização dos problemas, a análise dos indicadores de desempenho e a geração de ideias com vista à melhoria contínua;Entre Agosto e Outubro de 2009 foram implementadas diferentes ferramentas e metodologias, destacando-se:

    •  
    • Quadro de Equipa: é um instrumento fundamental para a comunicação e contém elementos como Eventos, 5S, Comunicações, Qualidade, Produção, Atrasos, Planeamento, TOP5, Melhoria Contínua, Presenças, Segurança, Satisfação dos Clientes, Missão, Visão, Organização e Emergências;
       
    • SMC - Sistema de Melhoria Contínua: tem como objectivo captar as pequenas oportunidades de melhoria identificadas por todos os colaboradores da AMT, no dia-a-dia. Com apenas pouco mais de um mês de implementação contava-se já um total de 38 propostas de melhoria, demonstrando a receptividade ao sistema.

    Em Outubro foi realizada a entrega dos diplomas aos formandos das sessões da formação acção em empowerment e dos workshops operacionais. A cerimónia teve a presença da chefia das operações e do director-geral da unidade. O programa teve resultados extremamente positivos, ao nível do Planeamento, da Produtividade e da Resposta às Urgências. O maior benefício reside no despertar para a realidade do empowerment, onde tudo fica por questionar e a excelência organizacional a um passo de distância.

     

    Programa «Efacec Employee Empowerment» - Reunião «TOP5»

Powered by