EDP

http://www.edp.pt

Boas Práticas Implementadas

  • Criar condições para estimular a inovação - Cultura de inovação

    A EDP está orientada para a inovação, tendo como visão ser uma “empresa global de energia, líder na criação de valor, inovação e sustentabilidade”. Esta visão vem assente em valores de excelência, confiança, iniciativa, inovação e sustentabilidade, que conduzem a ação e a tomada de decisão do Grupo.

    Referenciado em:
  • Criar condições para estimular a inovação - Liderança

    Uma liderança e cultura adequadas são de facto os dois ingredientes mais importantes para o sucesso da inovação. Segundo António Vidigal, da EDP Inovação, “O nosso papel [enquanto líderes da empresa] é definir um horizonte para a inovação e capturar oportunidades que possam ser implementadas pelas unidades de negócio”.

    Na sequência do Programa de Assistência Financeira a Portugal, a EDP foi privatizada em 2011, passando a sociedade anónima com responsabilidade limitada. A China Three Gorges Corporation é a atual acionista maioritária do capital social do Grupo. O estabelecimento desta parceria estratégica veio reforçar os planos estratégicos do Grupo, nomeadamente no que respeita a um crescimento sustentável e eficiente.

    Referenciado em:
  • Criar condições para estimular a inovação - Estratégia de Inovação

    “O Grupo reconhece que o setor está em mudança e que, nesse sentido, a inovação é uma das ferramentas essenciais para o crescimento sustentado.”

    António Vidigal, Presidente do Conselho de Administração da EDP Inovação, in “Inovação: ADN ou atitude?”, PwC

    Das áreas de negócio onde a EDP desenvolve as suas atividades, destacam-se as da produção e distribuição de eletricidade, sendo este o core business do Grupo. Contudo, a contribuição dos segmentos do gás e comercialização de eletricidade no mercado livre têm evoluído positivamente. A EDP mantém uma posição relevante no panorama energético mundial, refletindo uma estratégia de internacionalização para o crescimento. Em 2012, marcava presença em 13 países, contando com mais de 9.8 milhões de clientes de energia elétrica, 1.3 milhões de pontos de abastecimento de gás e mais de 12 mil colaboradores em todo o mundo. No futuro, a EDP estará focada no crescimento em geografias onde está atualmente presente, através da alavancagem das operações existentes e tirando proveito da parceria estratégica com a CTG Corporation.

    Ainda em termos de estratégia futura, foi desenvolvido um Business Plan para os anos de 2012 a 2015. Assenta nos três seguintes pilares: risco controlado, eficiência superior e crescimento orientado. No que respeita ao risco, o plano passa por estabelecer um programa de gestão proativa da agenda legal/ regulatória, mantendo o baixo perfil de risco que caracteriza a EDP, pelo refinanciamento competitivo e por acelerar o processo de desalavancagem financeira. O segundo pilar inclui o enfoque na eficiência ao nível do Opex e Capex, criando opções de crescimento sustentado a longo prazo. Finalmente, o terceiro pilar passa por criar um plano de crescimento em sustentabilidade e gerar retorno estável e atrativo para os acionistas do Grupo. Para este último planeia-se apostar na I&D e inovação no sentido de promover uma gestão adequada dos desafios de longo prazo a que a empresa será exposta.

    Mais concretamente em termos de estratégia de inovação, um dos princípios estratégicos da EDP trata-se de promover a inovação e a criatividade, na procura de novas oportunidades de mercado e na melhoria dos processos. Pretende faze-lo através da 1) promoção de práticas colaborativas em todas as fases de conceção, produção e entrega de serviços; e da 2) promoção da investigação e desenvolvimento tecnológico e a gestão do conhecimento, no domínio da energia. Em 2012 foi definida uma meta interna para o financiamento de projetos de I&D e inovação num montante não inferior a €60m.

    Referenciado em:
  • Mobilizar recursos para sustentar a dinâmica de inovação - Capital Humano

    Alinhar as equipas de inovação com unidades de negócio ou com áreas individuais de produtos e serviços garante que as equipas de inovação não estejam isoladas do resto da organização. A área da EDP Inovação está organizada com “focal pointsem todas as áreas de negócio”, coordenadas por um membro sénior do Grupo que tem a função de “organizar e apoiar a implementação” das novas ideias. Cada grupo de especialistas reúne trimestralmente para decidir o que fazer e distribuir tarefas para fazer a inovação acontecer. Em paralelo, semestralmente realiza-se um balanço de todos os grupos, num comité de inovação. 

    Referenciado em:
  • Mobilizar recursos para sustentar a dinâmica de inovação - Relacionamentos Externos

    A EDP mantém importantes parcerias estratégicas que se encontram em linha com a sua visão e valores. O envolvimento de stakeholders é uma prioridade estratégica para a manutenção de um diálogo aberto e transparente. 

     

     

    Com efeito, relacionamentos estratégicos têm mostrado um forte impacto nos resultados da empresa. Uma parceria entre a EDP, a CIP e o BPI deu origem ao projeto Save to Compete que visa a promoção da eficiência energética nas empresas. O papel da EDP passa por identificar oportunidades de melhoria daperformance energética das empresas e sua implementação. O programa assenta num modelo no qual cada projeto é pago por parte das poupanças geradas ao longo do tempo, sem que a empresa beneficiária tenha necessidade de investimento e não comprometendo recursos financeiros necessários ao crescimento do seu negócio. Em última análise, este projeto vai contribuir para o aumento da competitividade das empresas portuguesas, através de consumos energéticos reduzidos. Adicionalmente, a EDP vem reforçar a sua política de colaboração e parceria com clientes, e o seu posicionamento enquanto líder na área dos serviços de energia e eficiência energética, atividade de crescente importância estratégica no sector energético.

    Também a colaboração da EDP com os parceiros Repsol, InovCapital e Principal Power, permitiu a inauguração da primeira plataforma eólica portuguesa em offshore. Mais informação em Identificar Resultados de Inovação – Mercados.

    Referenciado em:
  • Implementar processos para garantir mais e melhor inovação - Gestão de ideias

    Internamente, existe uma plataforma para a introdução e recolha das ideias. Um grupo com membros das várias áreas de negócio faz a triagem final e leva algumas ideias ao comité de inovação. Este processo torna-se transversal à empresa, através da transmissão das novas ideias a todas as áreas do Grupo, ao que se chama de “EDP way”. Com efeito, quando alguém descobre uma melhor maneira de fazer as coisas, todo o Grupo tende a adotar essa inovação, em todas as geografias e independentemente da área de negócio. Adicionalmente, também são realizadas iniciativas de design thinking para fomentar a geração de ideias.

    Numa vertente mais orientada para o mercado, a EDP é conhecida pelo seu forte laboratório de I&D, que segue as seguintes prioridades: geração convencional de energia, sustentabilidade e ambiente; distribuição e energias renováveis; distribuição de eletricidade; e mercado energético e serviços de valor acrescentado. “O nosso foco é tecnologia, tecnologia, tecnologia” enquanto fator de diferenciação. Através da criação de ferramentas que permitem à empresa captar ideias e gerir conhecimento, a EDP está recetiva aos contributos dos seus clientes, fornecedores, colaboradores e comunidade em geral. A EDP tem vindo a desenvolver práticas como o lançamento de prémios / concursos de inovação, o apoio no desenvolvimento de projetos de demonstração tecnológica e prototipagem de conceitos, o capital de risco ou a incubação /aceleração de empresas de energia. O Grupo define este conjunto como um “Ecossistema de Inovação”, responsável por estimular a criatividade e o empreendedorismo no sector energético. Destacam-se as seguintes iniciativas:

    • Criação do Venture Capital, umFundo de Capital de Risco gerido pela EDP VENTURES, que até ao final de 2012 havia investido mais de €7 milhões em empresas e fundos inovadores na área de cleantech.
    • Fablab é um projeto cuja abreviatura vem de “Fabrication Laboratory”, consistindo num laboratório de prototipagem rápida. O conceito foi criado no Center for Bits and Atoms (CBA) do Massachussets Institute of Technology (MIT) e foi desenhado e pensado para a comunidade, fomentando uma educação técnica informal, vindo proporcionar o ambiente ideal para a inovação. Os projetos são concebidos em 2D (no computador) e depois materializados em 3D (nas máquinas), assegurando uma aprendizagem assente no “Learn by Doing”.
    • Em 2012 foi a criada a EDP Starter com o objetivo de aproximar empresas, clientes e investidores no desenvolvimento de produtos e serviços tradicionalmente gerados em start-ups. Através da incubação de empresas na área de energia, a EDP potencia o aceleramento de grandes ideias provenientes de pequenas empresas.
    • Inserido na EDP Starter e no FabLab, o Prémio EDP Inovação vai já sexta edição e visa o reconhecimento de ideias inovadoras em termos de energias limpas e eficiência energética. O vencedor da edição deste ano, 2014, receberá 50 mil euros para implementar o seu projeto, um programa de pré-aceleração de start-ups e uma viagem a São Paulo, em que terá a oportunidade de apresentar o seu projeto à EDP Brasil.
    Referenciado em:
    www.edpstarter.edpinovacao.com 
    http://fablabedp.edp.pt/pt
  • Implementar processos para garantir mais e melhor inovação - Gestão de projectos de IDI

    Em termos de gestão de projetos, as atividades de IDI no sector elétrico incluem as áreas estratégicas: Energias Renováveis; Tecnologias Avançadas de Produção; Redes Inteligentes; Eficiência Energética; Mobilidade Elétrica; Tecnologias de informação e suporte ao negócio; Ecossistema de Inovação. Neste sentido, foi criada a área da “Inovabilidade” no Brasil, que baseia a sua atuação nos Princípios de Desenvolvimento Sustentável do Grupo e está focada nos vetores de tecnologia, operacional e de gestão, produtos, serviços e modelos de negócio.

    Concretamente, a atividade de produção de energia elétrica foca-se na resolução de problemas atuais e reais, que melhorem a eficácia e a eficiência da operação e a procura de tecnologias inovadoras para a descarbonização do sector a longo prazo. A título de exemplo, em Portugal destaca-se o projeto SAFEnergia para desenvolver tecnologias de diagnóstico e inspeção não intrusivos, aplicadas a centrais de produção termoelétrica. Em Espanha foi concluído o projeto “Melhoria da disponibilidade de alternadores em centrais de cogeração”, desenvolvido pela HC Energía, visando a melhoria do diagnóstico de problemas não detetados pela análise de vibrações.

    Referenciado em:
  • Grandes Tendências - Redes Sociais

    A nível social, a EDP está presente no Facebook, contando com cerca de 10.000 “gostos” na sua página (em março de 2014), que apresenta uma vertente institucional e meramente informativa. Já no LinkedIn, a sua página é seguida por 18.700 utilizadores, e apresenta também as correntes oportunidades de trabalho. Apesar de em menor escala, a página EDP Renováveis está também presente nesta rede social com 7.120 seguidores.

    Referenciado em:
  • Identificar resultados de inovação - Avaliação de Resultados - Financeiros Operacionais

    Avaliando os resultados de inovação, apesar de a EDP considerar que nem todas as inovações têm relação direta com o revenue, sendo o valor da inovação muitas vezes qualitativo, no final pretende-se que gerem retorno. Para esta empresa é tão ou mais importante calcular o valor estratégico como a dimensão do retorno financeiro, sendo que, ainda assim, não se avança com nada que não tenha valor económico para o Grupo.

    Em 2012, o resultado líquido do Grupo EDPalcançou os 1.012 milhões de euros, representado um decréscimo 10% face ao período homólogo, suportado por umaqueda de 3% do resultado operacional bruto.Para tal, os fatores contribuidores foram a inferior produçãoregistadanas centrais mini-hídricas, o decréscimo dos resultados com combustíveis eCO2 e custos de reestruturação.

    O investimento operacional ascendeu a 2.010 milhões de euros em 2012, sendo que o investimento de expansão ascendeu a 1.318 milhões de euros. Deste último, 34% foi investido numa nova capacidade hídrica e 46% numa nova capacidade eólica e solar. Informação sobre projetos destas vertentes em Tipos de Inovação – Processos.

    Referenciado em:
  • Identificar resultados de inovação - Avaliação de Resultados - Mercado

    Em colaboração - em Joint Venture - com parceiros estratégicos, a EDP inaugura a primeira plataforma eólica portuguesa offshore. O sistema WindFloat, localizado ao largo da costa Aguçadoura, está equipado com um aerogerador de 2 megawatts, correspondente ao consumo de cerca de 1.300 habitações. Atualmente, a plataforma já produz energia para a rede, sendo que até junho de 2012 foram produzidos mais de 1,7 GWh.

    Esta instalação potencia o início de um novo setor na indústria eólica offshore a nível mundial. Representa uma grande oportunidade industrial para Portugal, sendo que algumas infraestruturas poderão constituir a base de desenvolvimento desta tecnologia. Adicionalmente, apresenta também potencial ao nível das exportações de produtos de elevado valor acrescentado.

    Referenciado em:
  • Identificar resultados de inovação - Avaliação de Resultados - Sociedade

    Desde 2010 que o Grupo EDP lidera o projeto MOBI.E em Portugal, visando a mobilidade elétrica. A missão do projeto é contribuir para uma mobilidade mais sustentável, maximizando as vantagens e integrando harmoniosamente a energia elétrica resultante de energias renováveis, no funcionamento e desenvolvimento das cidades. Pretende-se diminuir as emissões de CO2, melhorar a qualidade do ar e reduzir a dependência energética do país. 

    Referenciado em:
  • Identificar resultados de inovação - Tipos de Inovação - Processo

    A instalação da plataforma eólica offshore – WindFloat – será um exemplo de inovação no processo de geração de energia renovável. Sendo a primeira plataforma do género a nível mundial, a EDP e as restantes empresas integradas no consórcio, tornam-se pioneiras de tal inovação. Baseada numa plataforma flutuante de suporte a turbinas eólicas multi-MW, a WindFloat permitirá explorar o potencial eólico no mar, a partir dos 40 metros de profundidade. A ideia final passa por demonstrar a industrialização do conceito.

    Ainda em fase de experimentação, o projeto sunLab tem como objetivo testar módulos fotovoltaicos em diferentes condições climáticas em Portugal e diferentes posições. Pretende-se determinar a relação entre a produção de energia elétrica e aquelas variáveis, para subsequentemente desenvolver ferramentas de apoio à decisão, em futuros desenvolvimentos comerciais com tecnologia solar fotovoltaica.

    Com vista a eficiência energética, a EDP tem continuado a desenvolver, em Portugal, uma plataforma de serviços para Home Energy Management. Para além das primeiras instalações, limitadas a clientes de microgeração, implementou-se uma nova plataforma – uPower - para teste de diferentes tecnologias no domínio das redes inteligentes e eficiência energética, nomeadamente o armazenamento de energia.

    Multimedia:
     
    Referenciado em:
  • Grandes Tendências - Open Innovation

    A EDP Inovação, acredita que "as melhores ideias não têm que surgir dentro da companhia". Foi por isso que alargaram, à envolvente da EDP, as práticas internas, de colaboração e partilha de conhecimento, que têm contribuído para o sucesso da Inovação no Grupo. Conforme referido na plataforma criada para o efeito, Co-Creation,  “To EDP Inovação, the best ideas do not have to arise within the company. Often they are with our partners and, ultimately, may be on the other side of the world. You may have innovative ideas, projects, processes... for the energy sector in general and EDP in particular. If so, do not hesitate, sign up and share your ideas with us.”

    Ao apostar no processo de inovação aberta e em práticas de co-criação, pretenderam acrescentar valor ao processo de inovação e contribuir para o desenvolvimento do sector da Energia, que enfrenta atualmente desafios muito estimulantes.

    No âmbito desta iniciativa, através da plataforma Co-creation, a EDP pretende:

    • Estimular a comunidade e todos os stakeholders a participar neste processo de Inovação Aberta;
    • Suportar a atividade de co-criação com o Grupo EDP;
    • Potenciar o desenvolvimento de comunidades de interesse em torno de temas relevantes para a EDP e o sector da Energia;
     

     
    Referenciado em:

Powered by