CGC Genetics

http://www.cgcgenetics.com

 

CGC Genetics é o principal prestador de testes de Genética Médica em Portugal e um dos principais na Europa, recebendo pedidos de análises de todo o mundo. Usando as últimas tecnologias, uma rigorosa política de qualidade e capacidade instalada para o desenvolvimento de novos testes e de testes exclusivos (Arrays CGC com Patente Submetida), o CGC tem, além do Departamento Clínico com 5 médicos geneticistas, 50 profissionais altamente qualificados, oferecendo mais de 1500 testes genéticos para todas as especialidades médicas, incluindo as áreas de diagnóstico pré-natal, cancro, doenças raras, doenças comuns do adulto, medicina preventiva, farmacogenética, entre outros. O CGC participa num número elevado e diversificado de avaliações internacionais de qualidade, além da ISO 9001, Licença CLIA, Licença de Laboratório Clínico para o estado da Califórnia, Certificação de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação (Norma Portuguesa 4457:2007), entre outras. Integra o Health Cluster Portugal, a COTEC e é PME Excelência. O CGC está afiliado com a UMDNJ-New Jersey Medical School, dá apoio a doutorandos e mestrandos e ainda recebe estudantes do Programa Erasmus, da Universidade de Roterdão, nos laboratórios do Porto. O CGC tem contratos com hospitais de diversos países, reforçou o seu investimento internacional com instalações nos EUA e, recentemente, com a aquisição de dois laboratórios em Espanha.

 

Processo de Certificação

A descodificação do genoma humano em 2003 reuniu um vasto volume de informação genética que tem servido, e continuará a servir ainda durante muito tempo, como fonte de crescimento no âmbito da genética humana, em particular na área da Saúde. Atento a esta realidade, o CGC tem vindo a acompanhar a evolução do conhecimento global sobre o genoma humano, investindo no aproveitamento eficiente dessa informação para aplicação ao desenvolvimento de novos serviços de diagnóstico.

A I&D no CGC Genetics existe desde o início da constituição da empresa, sendo um dos seus pilares de evolução. No entanto, tornou-se necessário nos últimos anos adaptar e preparar a I&D às necessidades internas e externas do CGC Genetics.

A criação do Sistema de Gestão de Investigação & Desenvolvimento e Inovação (SGIDI) fundiu os planos de desenvolvimento com os planos estratégicos da empresa, a todos os níveis, com ganhos evidentes na eficiência departamental e de processos. O crescimento sustentado da actividade do CGC responde, assim, às exigências do mercado - tanto do ponto de vista da disponibilidade tecnológica como dos requisitos dos clientes - e às exigências organizacionais decorrentes da evolução dos métodos de produção e dos factores externos.

Os resultados da inovação produzem orientações de grande valor e impacto, não só na actividade diária mas também na definição de novos planos e novas orientações em termos da organização da empresa.
Dando forma aos princípios modeladores do CGC Genetics, Inovação e Qualidade, o Sistema de Gestão de IDI foi integrado no SGQ do CGC, constituindo um processo dentro da organização. O Processo de IDI define o modo como são conduzidas e articuladas todas as etapas desde o surgimento da «ideia» ou da «oportunidade de inovação» até à avaliação e análise dos resultados obtidos.

 

Figura 3 - Processo de IDI

 

O Processo de IDI (figura 3) define ainda as responsabilidades dentro do CGC na Gestão da Inovação, nomeadamente na gestão das interfaces, na identificação das novas ideias e oportunidades, na gestão da criatividade interna, no acompanhamento do processo de inovação e, por fim, na análise e avaliação dos projectos de inovação implementados.

Com a constituição deste processo criaram-se as ferramentas necessárias à implementação dos requisitos definidos pela NP 4457:2007 para um sistema eficaz de gestão da IDI.

Numa área de evolução rápida quer em termos tecnológicos quer em termos de mercado (a genética é um campo de oportunidades a muitos níveis, mesmo do ponto de vista empresarial), foi considerado crítico para o sistema de gestão da inovação a análise e monitorização das diferentes envolventes. Os procedimentos associados ao Processo de IDI definem o modo como esta monitorização deve ser feita e o modo como os resultados são analisados e aplicados.

 

 

O Processo de IDI é transversal a toda a organização, apesar de as responsabilidades estarem bem definidas nos diferentes níveis do organograma, e o CGC promove um comportamento pró-activo dos seus colaboradores, no sentido de estes originarem ideias e identificarem novas oportunidades, com impacto positivo no desempenho global da organização.

A implementação do SGIDI é uma garantia de análise cuidada de cada ideia, no contexto da sua adequação aos objectivos propostos pela empresa num determinado momento. Os projectos de IDI, sejam de I&D ou organizacionais, contribuem de modo idêntico para uma prestação diferenciada e com elevado nível de qualidade.

Numa área de carácter vincadamente científico e tecnológico, como a genética humana, o conceito de inovação fica quase sempre reduzido a medidas e acções de carácter técnico.

Com a criação do SGIDI, o conceito de inovação, no seu sentido lato, tornou-se mais perceptível e fácil de aplicar e desta forma envolvendo toda a estrutura de colaboradores do CGC Genetics.

 



O ano de 2010 apresenta-se como o ano da consolidação do Grupo CGC Genetics. A estratégia de internacionalização, pilar da sustentabilidade do CGC, foi suportada por vários projectos de IDI. O sucesso internacional do Grupo CGC é o reflexo da necessidade e eficácia de um Sistema de Gestão de Investigação, Desenvolvimento e Inovação.

 

 

Purificação Tavares

Presidente do Conselho de Administração


O CGC Genetics - Centro de Genética Clínica, fundado em 1983, teve a sua expansão laboratorial em 1992, como complemento da consulta de genética médica, com o Laboratório de Citogenética.

O CGC foi assim o primeiro laboratório privado de Genética Médica em Portugal. O CGC tem como missão dotar a comunidade médica das mais avançadas formas de diagnóstico nas áreas da genética médica. Com o enfoque da prevenção pelo diagnóstico precoce, e a valorização económica do conhecimento no âmbito da inovação, temos um compromisso com a excelência e a qualidade na prestação de um serviço. Valorizamos a competência, o rigor e a transparência.

O momento único em que vivemos coloca o horizonte mais próximo: conseguimos desenvolver novos testes, optimizar recursos, conseguir testes genéticos acessíveis e úteis. Esta estratégia permitiu-nos alcançar a destacada posição que actualmente detemos no mercado nacional e internacional.

Temos um forte compromisso social, colocando como objectivo da empresa a manutenção e expansão de emprego por criação de valor, a formação contínua dos colaboradores e o forte sentimento de grupo, procurando ser exemplo.

Como consequência, o CGC tem hoje parceiros em todas as partes do mundo e instalações próprias em Portugal (Porto e Lisboa), em Espanha e nos Estados Unidos.

Não tem sido fácil, mas é possível.

Boas Práticas Implementadas

  • Implementar processos para garantir mais e melhor inovação - Gestão de projectos de IDI

    A ANÁLISE DOS RISCOS DOS PROJECTOS DE IDI

    Um dos conceitos centrais utilizados pelo Processo de IDI da CGC é o de «Projecto de IDI»: o processo define a forma como os projectos de IDI são apresentados, aprovados, planeados, acompanhados e avaliados.

    A evolução de I&D para Inovação não é meramente administrativa, é uma evolução conceptual que aceita a inovação como uma «(…) nova ou significativamente melhorada solução para a empresa, novo produto, processo, método organizacional ou de marketing, com o objectivo de reforçar a sua posição competitiva, aumentar o desempenho ou o conhecimento» (NP 4457:2007). Desempenho e posição competitiva são objectivos pouco comuns quando se fala de I&D, o que significa que esta evolução obriga a uma modificação estrutural do modo como a I&D é planeada e executada.

    Numa organização como o CGC Genetics, baseada em resultados por objectivos, a evolução estrutural da I&D foi conseguida através da Análise de Risco dos Projectos de IDI. A selecção dos projectos a implementar é orientada pelo cálculo do risco de cada projecto apresentado. Todas as ideias recolhidas e oportunidades identificadas, externamente e internamente, são alvo de apreciação por parte do núcleo gestor da IDI. As ideias e oportunidades identificadas são avaliadas de acordo com os parâmetros enunciados na figura 9.

    A cada parâmetro é atribuído um valor numérico, ponderado em função da análise efectuada.
    Constituem entradas para a Análise de Risco dos Projectos de IDI as informações das diferentes interfaces: tecnológica, organizacional e de clientes. A gestão define o valor de risco a partir do qual um projecto poderá ser aprovado e posteriormente implementado.

    Os projectos com valor de risco elevado são excluídos, excepto em situações que, qualitativamente, se demonstre o valor potencial que o projecto poderá gerar. A Análise de Risco dos Projectos de IDI garante à organização a implementação de projectos que criem valor, a diferentes níveis, e que, acima de tudo, estejam em consonância com o plano estratégico do CGC Genetics.

     

     

    A criação de valor esperada será sempre com o objectivo de «…reforçar a sua posição competitiva, aumentar o desempenho ou o conhecimento» (NP 4457:2007).

    Outro dos requisitos fundamentais na gestão do projecto é a análise de resultados sobre os projectos concluídos, de acordo com os respectivos tempos para avaliação previstos no plano de projecto. Esta metodologia inclui a análise do efeito do projecto sobre os resultados de desempenho dos processos da organização, sobre os aspectos: Mercado, Performance Financeira, Recursos Humanos e Criação de Valor.

    O resultado global da avaliação de resultados dos projectos desenvolvidos é considerado como entrada para a actividade de Revisão pela Gestão ao Sistema de Gestão da Qualidade e Inovação, a implementação de novos projectos, e, como sempre, para a melhoria contínua do próprio processo.

Powered by