Sobre o Barómetro

O facto de existir na sociedade portuguesa uma percepção de fraca capacidade de inovação nas empresas portuguesas, motivou a COTEC a promover, desde 2006, uma iniciativa – Desenvolvimento Sustentado da Inovação Empresarial (DSIE) - que procura estimular a inovação empresarial e, em paralelo, pretende divulgar casos e experiências empresariais que possam contribuir para um conhecimento mais fundamentado sobre esta realidade.

A abertura da “caixa negra” da inovação, expressão utilizada frequentemente na literatura científica para revelar a dificuldade em conhecer e interpretar, de modo rigoroso e fundamentado, as actividades de inovação empresarial e o seu impacto, tem vindo a ser alvo de um trabalho persistente na COTEC. São exemplos desse trabalho a elaboração e o apoio à aplicação do sistema de innovation scoring, o estímulo à partilha de práticas de gestão de inovação e a colaboração na implementação de sistemas de gestão de inovação mais estruturados e focados na valorização de resultados.

A aceleração da utilização da internet como veículo de comunicação e de interacção, a impreterível necessidade de observação activa das experiências nacionais e internacionais na área da inovação e a convicção da importância de tornar esta realidade acessível e atractiva para a população mais jovem foram outros dos motivos que nos inspiraram para o desenvolvimento do projecto Barómetro de Inovação, também inserido na Iniciativa DSIE da COTEC.

O Barómetro de Inovação pretende disponibilizar, numa única plataforma, informações que possibilitem aos interessados, em particular às empresas do Universo COTEC, ter uma perspectiva mais integrada sobre aspectos da realidade da inovação empresarial que, pela dispersão e diversidade dos dados, se encontram pouco explorados, pouco analisados ou ainda pouco visíveis no debate público actual.

Nessa linha, mais do que um resultado, a versão actual deste Barómetro deve ser considerada como um ponto de partida. Outras ideias, objectivos, áreas e sub-produtos poderiam ter sido considerados. No entanto, o pragmatismo inerente ao lema da equipa - “mais vale fazer do que prometer” - impôs a necessidade de seleccionar os temas a explorar e a prioritizar as acções mais críticas para que fosse possível Fazer!

Uma referência aos membros da equipa e dos parceiros de projecto que, a par das suas actividades correntes do dia a dia exigente das suas organizações, manifestaram sempre a vontade de colaborar, inventaram o tempo para se dedicarem às tarefas e encontraram a flexibilidade necessária para colocar, acima de opiniões pessoais, a missão do grupo.


Isabel Caetano
Coordenadora do projecto

partilhar Imprimir

Saiba mais