Metodologia

O projecto que conduziu à disponibilização do Barómetro de Inovação seguiu um conjunto de etapas cuja descrição sumária se apresenta de seguida. Será ainda disponibilizada informação específica sobre a metodologia utilizada em cada uma das secções respectivas.

Principais etapas:

1) Análise de benchmarking

Numa primeira fase de concepção, a equipa de projecto pesquisou e analisou diferentes casos de portais contendo informação estatística e exemplos de ferramentas semelhantes que, embora focados noutros sectores de actividade, como a qualidade ou o turismo, constituiram referências a ter em conta, designadamente na metodologia utilizada e nas funcionalidades desenvolvidas.

2) Definição de objectivos

A esta fase correspondeu a definição dos objectivos gerais, das principais fontes de informação e do calendário de acções.

Fruto do trabalho de pesquisa e do debate entre os membros da equipa de projecto, foram apresentados os primeiros objectivos concretos do Barómetro:

  • Dar visibilidade aos indicadores e estatísticas de IDI
  • Divulgar dados sobre as condições e os recursos dedicados às actividades de IDI
  • Disponibilizar informação sobre a Inovação empresarial (dinâmica, resultados, boas práticas,...)
  • Disponibilizar informação sobre as iniciativas de apoio à inovação (pólos de competitividade,prémios,...)
  • Fomentar a preparação de estudos e análises a partir dos resultados obtidos de modo a identificar áreas de potencial melhoria e oportunidades de desenvolvimento
  • Analisar tendências de inovação e tecnológicas
  • Permitir a criação de um painel de “líderes empresariais” que, de modo rotativo, emitam as suas opiniões sobre questões de inovação

3) Apresentação de um Roadmap

Reflectindo sobre os objectivos e a lógica do Barómetro, a equipa de projecto identificoutrês ‘segmentos de mercado’:

  • Empresarial, nomeadamente as empresas associadas e da Rede PME Inovação;
  • Institucional; e
  • Sociedade Civil.

O ‘segmento’ empresarial assumiu, desde logo, um caracter prioritário. O Barómetro deverá responder a uma ‘procura’ empresarial (por vezes apenas latente) relativamente a estatísticas e sobretudo práticas no domínio da IDI. Considerou-se útil que as empresas disponham de informações estatísticas que possam funcionar como elementos de referenciação e de benchmarking, nomeadamente face a concorrentes internacionais. Mas, para as empresas, o fundamental será com certeza a disponibilização de (ou a possibilidade de acesso a) informações sobre práticas em matéria de gestão de IDI.

Dadas a missão e as características da COTEC e a sua, os outros dois ‘segmentos’ mereceram também atenção cuidada e reflexão por parte da equipa de projecto e por um conjunto de especialistas que participaram num exercício de focus group que decorreu em Março de 2010. No entanto, face ao calendário do projecto e às limitações em termos de recursos, a equipa optou por concentrar-se, nesta fase, no segmento empresarial.

4) Focalização em três áreas: Estatísticas, Práticas e Painel de Opinião

A partir da definição das três secções prioritárias do Barómetro, a equipa de projecto organizou-se em sub-grupos, tendo preparado uma primeira estrutura de cada secção.

No campo das estatísticas, foi solicitado a todas as empresas Associadas e da Rede PME Inovação da COTEC Portugal que cedessem os seus dados relativamente aos Inquéritos “Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional” (IPCTN) e “Inquérito Comunitário à Inovação”, comumente designado por CIS (Community Innovation Survey). Na sequência desta acção, o Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (GPEARI), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino
Superior, disponibilizou as bases de dados necessárias para o tratamento e análise das informações que possibilitaram a apresentação desta secção do Barómetro de Inovação. A COTEC, em estreita ligação com a empresa Everis, promoveu o desenvolvimento de um modelo interpretativo que, suportado num conjunto de indicadores, apoiasse a explicação da situação portuguesa em termos de desempenho na área da inovação.

No que diz respeito ao campo das práticas, a equipa de projecto tomou a decisão de colocar online as práticas de gestão de inovação de um conjunto de empresas que se certificaram em gestão de inovação de acordo com a Norma Portuguesa NP 4457:2007 e que tinham já disponibilizado essas informações para o Guia de Boas Práticas de Gestão de Inovação, editado pela COTEC e publicado em Junho de 2010. No entanto, e porque o objectivo seria o de abranger um maior número e uma maior diversidade de casos, a PwC, empresa associada da COTEC, disponibilizou-se a colaborar no projecto e a enriquecê-lo com casos e exemplos de práticas de gestão de inovação seguidas por empresas multinacionais.

No que concerne à secção de opinião, a equipa de projecto definiu um conjunto de critérios para selecção das personalidades a envolver no Painel de opinião sobre questões relacionadas com a política de inovação.

5) Lançamento do Barómetro Inovação

No dia 13 de Dezembro de 2010, foi lançada a primeira versão do portal Barómetro de Inovação. Resultou do trabalho já descrito e de várias dezenas de reuniões, de contactos e de contribuições, sendo de destacar os membros da equipa de projecto e dos parceiros Everis e PwC.

partilhar Imprimir

Saiba mais